10.9.02

Uma Palavra Amiga ( Getúlio Côrtes )
Eu preciso de você
Muito mais do que lhe quero
Mas você não pode ver
E também se nega a crer
Que eu espero, espero
O momento de lhe falar
Que é bem melhor você mudar
Meu sorriso se apagou
Essa espera me cansou
Por isso eu chamo, reclamo.

Não vou sofrer porque não faz sentido
Nem vou viver por aí perdido chorando
Sempre pela vida chorando
Eu quero ouvir uma palavra amiga
Preciso ouvir antes que eu siga chamando
Sempre por seu nome gritando.

Toda essa gente tem razão
Quando diz que louco estou
Caminhei por todo o canto
Procurei mas no entanto
Sozinho ainda estou.

Não vou sofrer porque não faz sentido
Nem vou viver por aí perdido chorando
Sempre pela vida chorando
Eu quero ouvir uma palavra amiga
Preciso ouvir antes que eu siga chamando
Sempre por seu nome gritando.
Ando com os sentimentos à flor da pele.
Sabe, qualquer mulher cheirosinha que passa,
calças apertando uma linda bundona
tudo isso mexe comigo.
Não é desejo machista de querer correr atrás
nem cafajestar
é poesia em forma de safadeza...
é muita viração de cabeça.
Pensei em fazer um ieieie de amor pra ela.
Mas desisti,sabe?
Não ia dar certo.
Mas o homem insiste. Insiste porque tem sentimento. E é burro também.

14.8.02

Eu te dei tanto amor
em troca recebi maldade
mas desse nosso amor
ainda me restou saudade

ninguém no mundo amou tanto quanto eu amei
só não entendo porque tanto tanto mal você me fez
por que você já não me mata de uma vez?

por que você já não me mata de uma vez?

Passou com outro do meu lado
e além do mais sorriu pra mim
você não sabe como eu achei ruim
Você não tem contemplação
para o meu pobre coração
Será que ao menos você pensou no que me fez?

Ah, por que você já não me mata de uma vez?
por que você já não me mata de uma vez?

Quisera eu poder beijar eternamente o teu carinho
mas sem você eu não encontro o meu caminho
isso é demais para um alguém que mal nenhum nunca lhe fez

Por que você já não me mata de uma vez?
por que você já não me mata de uma vez?
por que você já não me mata de uma vez?
por que você já não me mata de uma vez?
por que você já não me mata de uma vez?
por que você já não me mata de uma vez?

Reginaldo Rossi, do LP "À procura de você" CBS, 1970
Como disse meu amigo Olmir Pereio, "Véio ridículo é os Stones! O Roberto Carlos tá é muito na dele!" MESTRE!
essa menina é minha amiga e é muito legal, mas sei não. Acho que tem algo aí que palavras não dizem... daria isso uma canção??
É gente, está difícil postar com freqüência...trabalho, trabalho. Por outro lado, ando compondo muito ultimamente. Minha musa me visita constantemente. Sabe, acho que meu cd vai ficar muito bom. Os arranjos de orquestra e coro vão ficar a cargo do meu amigo, maestro Lelo da Rosa. Vai ficar muito bonito.

22.7.02

Puxa...já tenho até fãs. Como é bom saber que há mulheres que ainda apreciam um homem que tem sentimento...
Apareceu-me uma nova estrada e disse:
- "Siga-me, pois eu sou o seu futuro"
E minha casa com medo da solidão
Me pede pra ficar, Dizendo ser ela o meu passado.
E eu pensei, pensei, pensei...
Pra que futuro, pra que passado,
Quando na verdade ando perdido
Nos meus momentos presentes.

Do mestre Odair José, contracapa do LP "Lembranças"
Uma semana muito ocupada...apareceu um fuscão preto lá na oficina pr'eu consertar... todo mal cuidado, a lataria está um desastre, uma pena. Isso mais a Brasília amarela que um fã de mamonas levou lá. Diz ele que quer que ela fique igualzinha àquela do vídeo de "pelados em Santos". Genival, meu jegue, passou a semana inteira meio cabisbaixo. Ele deve sentir falta da Emília. É que eu tinha um casal, sabe? Mas infelizmente a Emília foi pra juntinho de nosso senhor ano passado.

11.7.02

Esse é um espaço pra contar um pouco de mim para minhas fãs... Meu nome é Carlos Roberto Walmor Pereira Monteiro Silveira Coelho, 32 anos, compositor e cantor. Para me manter, tenho uma oficina mecânica, especializada em lataria e pintura. Meus hobbies são: música romântica popular (que os detratores chamam de brega), culinária, animais de estimação (tenho cães, gatos e um jegue).